quinta-feira, 27 de junho de 2013

Fora do armário é tão solitário quanto dentro.


- ... pai?
- Oi.
- Você acha ruim... eu ser "assim"?
(Aqui a gente nunca toca nesse assunto diretamente. É a minha forma de respeitar os limites deles e a forma deles de se interessar pelas minhas questões)
- Não, filho.
(Em um mundo perfeito, eu acredito que a resposta teria parado por aí. Mas nós não estamos em um mundo perfeito.)
- Não, filho. Você tem postura de homem, as pessoas não conseguem perceber que você é diferente. Parece aqueles dois cowboys do filme.
- E é melhor assim?
- Claro! Ninguém gosta de estar perto de um viado...

O que me confunde um pouco nessa porra toda é que eu não sei se foi um elogio pra mim ou um insulto aos homossexuais.
Eu sei que ele tá se esforçando, mas tenho receio que essa boa vontade seja somente comigo, por ser filho. Com os outros do mundo lá fora nada mudou. E se algum dia eu me interessar por alguém? Como é que ele vai tratar esse cara?

---------------

"- ...Parece aqueles dois cowboys do filme."

Lembro que tava passando algum filme na televisão. Olhei de longe e me pareceu ser Brokeback Mountain. Achei engraçado: Minha mãe, que se emociona até com novela mexicana, fingia não chorar. Meu pai fingia não prestar muita atenção. Talvez ver dois homens se atracando na TV em horário nobre seja pedir demais. Mesmo assim ele aguentou até o fim.

Honestamente, eu acho que ele está enganado. Eu não sou nem um pouco parecido com aqueles dois cowboys do filme. Eu nunca quis ter uma vida dupla. O que eu quis (e ainda quero) é amor grande igual dos filmes. Foi por causa disso que eu decidi compartilhar com os meus pais, aos 16 anos, uma parte de mim que eles ainda não tinham conhecimento. Porque eu queria ter liberdade pra conhecer esse amor.

Infelizmente uma coisa que as pessoas não tinham me contado era que ao sair do armário pra minha família nuclear eu iria encontrar lá fora um mundo bonito, um céu azul e um campo verdejante... e vazio. Eu olhei pros lados e fiquei me perguntando "cadê os outros?".
Tendo vivido minha vida inteira como heterossexual, eu tenho uma dificuldade gigante em conhecer outros homens. Então só me resta sair com mulheres, porque a solidão é coisa que machuca a gente.

"Parece aqueles dois cowboys do filme." Porra, pai. Pra que foi falar isso?

7 comentários:

Cocada.g disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

Oi Caio blz? Eu não sei como é estar fora do armário porque eu ainda estou nele, mas queria muito saber onde você mora. Que terra é essa que não tem viado rapaz? hehe... Moro em uma cidadezinha do interior do maranhão e aqui tem poucos assumidos e aqueles que são eu não me identifico por isso também não consigo fazer amizades. Mas no seu caso pelo menos seus pais não te reprimiram ou coisa do tipo. A gente tem que entender que é difícil mesmo para um pai aceitar que o filho dele é gay. Essa coisa dele dizer que "ninguém gosta de estar perto de um viado" infelizmente é consenso geral. Se você é gay mas se comporta como "macho" as pessoas toleram mais. Porém, se você é gay afeminado e todo estereotipado as pessoas não gostam nem de ficar perto. Isso acontece aqui também hehe!
Boa sorte com o blog espero que tire um pouco de sua solidão!
abraços!

FOXX disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

olha, não é tão solitário assim não, se ainda é significa que vc não saiu ainda completamente, porque a solidão só existe porque vc ainda não se sente integrado a um grupo, vc ainda se vê como o estranho, quando esse sentimento passar de fato significa que vc finalmente saiu completamente do armário...

agora, sobre o comentário homofóbico do seu pai, ele é mesmo muito comum, até entre os gays, mas quem sabe com o tempo a gente faz todo mundo entender que aceitar a diferença é aceitar toda ela, todas as cores do arco-íris.
Feliz dia do orgulho gay.

Adriano Só disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

Oi, Caio, obrigado por sua visita! Primeiro deixa eu te dizer que adorei seu modo de escrever... muito bom! Você ainda é muito novo (21 anos, né?) e eu penso que é super normal ter esses sentimentos de solidão (o estar no famoso “armário”). O mais importante é você não deixar que o armário se internalize em você, compreende isso? A maioria de nós vive ou viveu nele, é uma contingência da vida (espero que no futuro não seja assim). Mas se você sempre tiver consciência disso e sempre souber que, num momento certo, você poderá se desvencilhar dele, então tudo ficará mais tranquilo. Só depende de calma e perseverança.

Abração... seguindo os seus textos.

Caio PRP disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

@Cocada.g
Na verdade cara teve uma repressão filha da puta. Mas isso já faz tanto tempo que nem parece a mesma pessoa. Por isso que eu digo que ele ta se esforçando...

Latinha disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

Olha... eu vou ser sincero, tem coisas que a gente precisa abstrair os conceitos de preconceito, homofobia, as boas maneiras e o politicamente correto.

Confesso que achei bacana o comentário do teu pai, eu não sei quantos anos ele tem exatamente, mas veja... não sei sua história também, mas você deve conhecer um bocado de gente nova, descolada, que não leva as questões de ser gay numa boa. Então, como "exigir" isso de alguém que vem de outra época, teve outra educação e muito provavelmente nem teve a chance de discutir isso com outras pessoas.

Eu prefiro focar na parte do não achar ruim você ser "assim"... tem noção de quão sortudo você é!? De poder chegar e perguntar isso!?

O resto, o tempo vai se encarregando de resolver, quando chegar o namorado, quando outras situações vierem. Acho que tudo é um aprendizado, para os pais ao saber que somos gays, creio que eles imaginam que vamos chegar fantasiados de baiana no Natal! Até perceber que na verdade nada mudou e continuamos sendo os mesmos... vai um tempo... ;-)

Poutz, já falei um monte e nem falei o que tinha vido falar [kkkk]

Valeu pelo comentário, quem sabe um dia não temos a chance de conversar a respeito dessas histórias... Minha história pode ter tido um final um pouco diferente da tua, mas na essência acho que elas terminam igual... ou seja, não foi da forma como gosaríamos, ou pensamos que gostaríamos!

Obrigado pela visita, muito legal teu bloguinho e espero que ele te traga muitas coisas legais e novas histórias também!

Abração!

O Rei do Drama disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

putz, quando li comecei a rir, parecia piada.

eu nao sai do armario e nem vejo fresta de luz pra sair. lendo seu relato, vejo que é melhor ficar trancado sozinho.

Margot disse... Best Blogger Tips[Reply to comment]Best Blogger Templates

OI... não considerei o comentario do seu pai como homofobico...vi mais como uma maneira de expressar que veio da criação dele, de outros tempos, como disse o latinha. Mesmo porque a homofobia não separa filhos de estranhos. Se ele o fosse, voce não teria sido aceito aos 16, quando viu a luz...rsr.
Mas, não concordo com seu pai que "ninguem gosta de ficar perto de viado". Pode ter certeza, se ele me conhecer...ele muda de ideia. Nos ultimos dois anos, fui mental e socialmente "salva" por uma turminha amada de mais ou menos 50 amigos...todos gays, que eu não troco nem por um milhão de amigos héteros.
Espero que esse numero cresça..rsrrs

Aguarde, e continue olhando em volta... Como diria Bilac:
".... os campos afinal, não são tão verdes para os que são amados...como para os que não são".

Abraços

Postar um comentário

 
Plantilla Minima modificada por Urworstenemy